Santa Cecília Virgem e Mártir

1Mc 4,36-37.52-59

36 Judas e seus irmãos disseram então: Eis que nossos inimigos estão aniquilados; subamos agora a purificar e consagrar de novo os lugares santos. 37 Reunido todo o exército, subiram à montanha de Sião. 52 No dia vinte e cinco do nono mês, isto é, do mês de Casleu, do ano cento e quarenta e oito, eles se levantaram muito cedo, 53 e ofereceram um sacrifício legal sobre o novo altar dos holocautos, que haviam construído. 54 Foi no mesmo dia e na mesma data em que os gentios o haviam profanado, que o altar foi de novo consagrado ao som de cânticos, das harpas, das liras e dos címbalos. 55 Todo o povo se prostrou com o rosto em terra para adorar e bendizer no céu aquele que os havia conduzido ao triunfo. 56 Prolongaram por oito dias a dedicação do altar, oferecendo com alegria holocaustos e sacrifícios de ações de graças e de louvores. 57 Adornaram a fachada do templo com coroas de ouro e com pequenos escudos, consagraram as entradas do templo e os quartos, nos quais colocaram portas. 58 Reinou uma alegria imensa entre o povo e o opróbrio das nações foi afastado. 59 Foi estabelecido por Judas e seus irmãos, e por toda a assembléia de Israel que os dias da dedicação do altar seriam celebrados cada ano em sua data própria, durante oito dias, a partir do dia vinte e cinco do mês de Casleu, e isto com alegria e regozijo.

Santa Cecília Virgem e Mártir

Salmo 1Cr 29,10-12

Resposta: “Queremos celebrar o vosso nome glorioso.”

10 Davi bendisse o Senhor, em presença de toda a assembléia Sede bendito, disse ele, para todo o sempre, Senhor, Deus de nosso pai Israel!

11 A vós, Senhor, a grandeza, o poder, a honra, a majestade e a glória, porque tudo que está no céu e na terra vos pertence. A vós, Senhor, a realeza, porque sois soberanamente elevado acima de todas as coisas.

12 É de vós que vêm a riqueza e a glória, sois vós o Senhor de todas as coisas; é em vossa mão que residem a força e o poder. E é vossa mão que tem o poder de dar a todas as coisas grandeza e solidez.

Santa Cecília Virgem e Mártir

Lc 19,45-48

45 Em seguida, entrou no templo e começou a expulsar os mercadores. 46 Disse ele: Está escrito: A minha casa é casa de oração! Mas vós a fizestes um covil de ladrões (Is 56,7; Jr 7,11). 47 Todos os dias ensinava no templo. Os príncipes dos sacerdotes, porém, os escribas e os chefes do povo procuravam tirar-lhe a vida. 48 Mas não sabiam como realizá-lo, porque todo o povo ficava suspenso de admiração, quando o ouvia falar.

Comentário:

Vendilhões no Templo - O gesto de Jesus, expulsando os vendilhões do Templo, tem um sentido messiânico. Significa a abolição do culto antigo, que dará lugar ao sacrifício da Nova e eterna Aliança. Também nós convertemos o templo de Deus, que somos, em «antro de salteadores», mercadores do sagrado, que fazemos da fé um negócio, e dos interesses materiais uma religião. Falsos pesos e medidas, falsos critérios e valores são a negação e mentira, que nos expulsam e condenam.

O homem foi sempre tentado a fazer negócio com Deus. Não acabamos de aceitar a lei do amor, preferindo a fórmula mesquinha: toma lá, dá cá; dou para que me dês. É o culto pagão, ultrapassado na lei da graça pelo culto do amor. Não façamos da vida cristã um negócio; não transformemos a casa do Senhor em superfície de comércio com Deus e com os Santos. Seríamos apenas traficantes da fé, convertendo a oração em suborno, a pretender atrair a vontade de Deus à nossa.

Mas, o Reino dos céus não se consegue com promessas e ritos, mas pela aceitação amorosa da vontade de Deus. Não se compra com ofertas e práticas exteriores, mas com as obras da fé e da caridade. O negócio que nos leva ao templo é amor e doação, é dar e não receber. Em negócios de amor, a regra é dar tudo. Se em paga nos derem a morte e nos rejeitarem, isso seria o grande negócio, a sorte grande da vida.

Senhor, para mim como para ti, o grande negócio é dar tudo!