São Pio X, Papa (+1914)

«Santo Padre, abençoe o meu filho, para que seja bom, porque eu sei que se Vossa Santidade o abençoar assim será, porque Vossa Santidade é um Santo.»

- Boa Senhora, você engana-se nas consoantes: Eu sou um Sarto (alfaiate), não um santo» Isto fazia alusão ao seu apelido que em italiano significa alfaiate (Sarto).

De origem humilde, o seu pai, João Batista, era simples meirinho de Riese (Treviso, Itália) e a mãe Margarida Sansão, dona de casa. O Senhor abençoou aquele lar com dez filhos, do quais oito chegaram a adultos. Ao nosso protagonista deu-se o nome de José. Chamou a atenção desde criança pela sua inteligência, bondade e amor em tudo o que se referia às coisas do Senhor. Ficou órfão de pai muito cedo. A mãe, Margarida, suprirá muito bem aquela carência e saberá plasmar no coração de Beppi toda a gama de virtudes cristãs que no dia de amanhã darão um fruto bem maduro. Ao ser canonizado, em 1954, o Papa Pio XII dizia dele: «Pio X, Papa, pobre e rico, suave e humilde, de coração forte, lutador pelos direitos da Igreja, esforçado no empenho de restaurar todas as coisas em Cristo». Bom resumo da sua bela e longa vida.

D. Tito Fusarini era o pároco de Riese. Cedo marcou a grande alma do pequeno Beppi, como todos lhe chamavam carinhosamente. Um dia, disse, falando daquele menino: «E a alma mais nobre deste país...». Vendo que esta era a sua vocação enviou-o para o seminário e ajudou a pagar os estudos sacerdotais. No arquivo do seminário de Pádua conservam-se as notas daqueles anos que rezam assim: « Discípulo irrepreensível, inteligência superior. Memória excelente. Oferece todas as esperanças». Não se enganaram. Bom presságio...

Subiu todos os degraus até chegar ao sacerdócio. Este dom recebeu-o a 18 de Setembro de 1858, ano das aparições da Virgem em Lurdes Assim era ele: alto, delgado mas forte, elegante, de cor branca, lábios finos, atitudes nobres, ao mesmo tempo que simples e sem fingimento, testa larga e cabelos abundantes, olhar meigo, magnetizante. Quando estava em Veneza como Cardeal diziam dele as mães aos filhos: «Vamos ver o Cardeal formoso».

A Divina Providência guiou os passos de D. Beppi de um modo maravilhoso. Estavam marcados, de nove em nove anos, os seus destinos: como coadjutor, como arcipreste, como cônego, como bispo, como cardeal. Quando chegava o. nono aniversário já ele sabia que devia mudar de cargo. Subiu sempre. Somente como Papa teve mais dois anos.

Ao morrer o Papa Leão XIII, na sala do Consistório, alguém votou no Cardeal Sarto de Veneza. E ele: «Estes Padres estão a experimentar-me» Um cardeal francês pergunta-lhe se sabe francês. Ao responder-lhe que não, diz-lhe: «Então, não é papável». E Sarto:

«Graças a Deus». Mas, na sétima votação, foi eleito. Resistia, mas, ao ver que era a vontade de Deus manifestada pelo votos dos Cardeais, aceitou. Foi um grande Papa: o Papa da Eucaristia, o Papa das crianças, o Papa da Virgem, o Papa dos pobres. Aceitou o papado «como uma cruz E assim o foi para ele. Pouco antes de morrer rebentou a primeira guerra mundial, apesar de ter trabalhado quanto pôde para a evitar. Continuou vivendo muito pobremente, e quando quiseram dar um título nobiliário às irmãs, disse: « Há algum título mais nobre do que serem irmãs do Papa? Nasci pobre e quero morrer pobre». Foi no dia 20 de Agosto de 1914, que voou para o céu, chorado por toda a cristandade.

Oração a São Pio X

Papa glorioso da Eucaristia, São Pio X, que procurou "resolver todas as coisas em Cristo."  Alcançai-me um verdadeiro amor de Jesus, para que eu possa viver só para ele.  Ajuda-me a adquirir um fervor animada e uma sincera vontade de lutar pela santidade da vida, e que eu possa me aproveitar as riquezas da Santa Eucaristia em sacrifício e sacramento.  Pelo seu amor a Maria, mãe e rainha de todas, inflamar meu coração com terna devoção a ela.

Bendito modelo do sacerdócio, obtenha para nós sagrados, sacerdotes dedicados, e aumentar as vocações para a vida religiosa.  Dispersar a confusão e ódio e ansiedade, e inclina os nossos corações a paz e a concórdia.  para que todas as nações se colocar-se sob o reinado doce de Cristo.  Amém.