Bendita entre as mulheres

Impelida pela caridade, dirigi-se Maria á casa da sua parente. Quando entrou, Isabel, ao corresponder á sua saudação, tendo sentido o menino estremecer de alegria no próprio seio, "cheia do Espírito Santo", saúda por sua vez Maria em alta voz:

"Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre" (cf. Lc 1, 40-42). Esta proclamação e aclamação de Isabel viria a entrar na Ave MAria, como continuação da saudação do Anjo, tornando-se assim uma das orações mais frequentes da Igreja. São ainda mais significativas as palavras de Isabel, na pergunta que se segue: "E donde me é dada a dita que venha ter comigo a mãe do meu Senhor? (Lc 1, 43). Isabel dá testemunho acerca de MAria: reconhece e proclama que diante de si está a Mãe do Senhor, a Mãe do Messias. Neste testemunho participa também o filho que Isabel traz no seio: "estremeceu de alegria o menino no meu seio" (Lc 1 , 44). O menino é o futuro João Batista, que, nas margens do Jordão, indicará em Jesus o Messias.

João Paulo II, Enc. Redemptoris Mater