29° Semana do Tempo Comum

Is 53,10-11

10 Mas aprouve ao Senhor esmagá-lo pelo sofrimento; se ele oferecer sua vida em sacrifício expiatório, terá uma posteridade duradoura, prolongará seus dias, e a vontade do Senhor será por ele realizada. 11 Após suportar em sua pessoa os tormentos, alegrar-se-á de conhecê-lo até o enlevo. O Justo, meu Servo, justificará muitos homens, e tomará sobre si suas iniqüidades.

29° Semana do Tempo Comum

Hb 4,14-16

14 Temos, portanto, um grande Sumo Sacerdote que penetrou nos céus, Jesus, Filho de Deus. Conservemos firme a nossa fé. 15 Porque não temos nele um pontífice incapaz de compadecer-se das nossas fraquezas. Ao contrário, passou pelas mesmas provações que nós, com exceção do pecado. 16 Aproximemo-nos, pois, confiadamente do trono da graça, a fim de alcançar misericórdia e achar a graça de um auxílio oportuno.

29° Semana do Tempo Comum

Salmo 32,4-5.18-19.20.22

Resposta: “Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, pois, em vós, nós esperamos!”

4 porque a palavra do Senhor é reta, em todas as suas obras resplandece a fidelidade: 5 ele ama a justiça e o direito, da bondade do Senhor está cheia a terra.

18 Eis os olhos do Senhor pousados sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua bondade, 19 a fim de livrar-lhes a alma da morte e nutri-los no tempo da fome.

20 Nossa alma espera no Senhor, porque ele é nosso amparo e nosso escudo. 22 Seja-nos manifestada, Senhor, a vossa misericórdia, como a esperamos de vós.

29° Semana do Tempo Comum

Mc 10,35-45

35 Aproximaram-se de; Jesus Tiago e João, filhos de Zebedeu, e disseram-lhe: "Mestre, queremos que nos concedas tudo o que te pedirmos." 36 "Que quereis que vos faça?" 37 "Concede-nos que nos sentemos na tua glória, um à tua direita e outro à tua esquerda." 38 "Não sabeis o que pedis, retorquiu Jesus. Podeis vós beber o cálice que eu vou beber, ou ser batizados no batismo em que eu vou ser batizado?" 39 "Podemos", asseguraram eles. Jesus prosseguiu: "Vós bebereis o cálice que eu devo beber e sereis batizados no batismo em que eu devo ser batizado. 40 Mas, quanto ao assentardes à minha direita ou à minha esquerda, isto não depende de mim: o lugar compete àqueles a quem está destinado." 41 Ouvindo isto, os outros dez começaram a indignar-se contra Tiago e João. 42 Jesus chamou-os e deu-lhes esta lição: "Sabeis que os que são considerados chefes das nações dominam sobre elas e os seus intendentes exercem poder sobre elas. 43 Entre vós, porém, não será assim: todo o que quiser tornar-se grande entre vós, seja o vosso servo; 44 e todo o que entre vós quiser ser o primeiro, seja escravo de todos. 45 Porque o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em redenção por muitos."

Comentário:

O evangelho terminou com uma frase que define, explica e testemunha bem quem é e como é Jesus: “0 Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate por todos”.


O comentário doutrinal feito por Jesus e dirigido aos seus discípulos tem, como ponto de partida, a preocupação interesseira dos irmãos Tiago e Joao. Não Lhe deveu ter agradado lá muito que estes Lhe tivessem dirigido aquele pedido para serem os primeiros. Na verdade, eles ainda não tinham captado bem o pensamento de Jesus, ainda não tinham percebido o ridículo que era andar com cunhas, privilégios ou preferências. Daí surgiu a indignação e a revolta entre os restantes elementos do grupo.


Querendo compor as coisas. Jesus junta-os e corrige-os a todos, tirando-lhes da cabeça os delírios de grandeza que ainda possuíam e dando-lhes urna lição de espiritualidade. Os valores alternativos que lhes propõe são a humildade, o despojamento e o serviço radical. E, para cúmulo de testemunho. Ele próprio Se lhes apresenta como exemplo e motivação, para ver se, assim, O compreendem melhor.


Que belas e claras lições nos deixa Jesus! Feliz daquela comunidade que consegue captar e viver a sua mensagem! Feliz daquela comunidade que ensina, com a palavra e com o exemplo, que o seu principal objetivo é servir e que o seu único desejo é amar! Quem dera que todas as comunidades cristãs fossem autênticos focos de despojamento, de serviço e de comunhão!


Hoje, Jesus voltou a lembrar-nos por onde deve ir o rumo da nossa vocação. Os cristãos não podemos andar à procura dos primeiros lugares. Seguir Jesus não é compatível com a ânsia de prestígio ou o afã do poder, nem com nenhuma outra ambição, além da de servir. O poder, geralmente, corrompe e é fonte de tirania e opressão. Por isso, Jesus avisa: "Não deve ser assim entre vós. Quem, entre vós, quiser tornar-se grande, tem de ser vosso servo".


Nós somos seguidores de um Mestre que não ambicionou nem honras, nem privilégios, nem poder, nem riquezas. Longe, então, também de nós tais ambições! Ele é o Servo que, anunciado por Isaías, carregou com os nossos pecados e entregou a sua vida como sacrifício de expiação. Ele foi provado em tudo como nós, mas manteve sempre a sua dignidade, não pecando nunca e dando continuamente culto ao Pai com a sua maneira de viver e de agir. Ele é o nosso Redentor que só quis servir e dar a sua vida por todos.


Já estamos vendo por onde deve ir a nossa espiritualidade. Os melhores entre nós foram e continuam a ser os mais simples e os que mais servem. Jesus deve ser sempre a medida do nosso serviço, o que quer dizer que o nosso serviço não pode ter medida. Realmente, na nossa espiritualidade, têm de penetrar muito fundo o sacrifício pelos outros, o serviço desinteressado, a humildade voluntária e a comunhão com todos.


Para terminarmos esta nossa reflexão, recordemos a resposta desafiante que Jesus deu aos dois irmãos: "Não sabeis o que estais a pedir! Podeis beber o cálice que Eu vou beber?". De fato, o Reino de Deus só se alcança à base de muito sacrifício, de muita entrega, de muita doação.


Comentário do dia
São João Crisóstomo (c. 345-407), presbítero de Antioquia, bispo de Constantinopla, doutor da Igreja
Homilia contra o anomeanismo


«O Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida»


Ao cobiçar os primeiros lugares, os mais altos cargos e as honras mais elevadas, os dois irmãos, Tiago e João, queriam, na minha opinião, ter autoridade sobre os outros. É por isso que Jesus Se opõe à sua pretensão, e põe a nu os seus pensamentos secretos dizendo-lhes: «Quem quiser ser o primeiro entre vós, faça-se o servo de todos.» Por outras palavras: «Se ambicionais o primeiro lugar e as maiores honras, procurai o último lugar, aplicai-vos a tornar-vos os mais simples, os mais humildes e os mais pequenos de todos. Colocai-vos atrás dos outros. Tal é a virtude que vos trará a honra a que aspirais. Tendes junto a vós um exemplo notável: "o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida empela redenção de todos." Eis como obtereis glória e celebridade. Olhai para Mim: Eu não procuro honras nem glória e, no entanto, o bem que faço é infinito».


Bem sabemos que, antes da Encarnação de Cristo e da sua vinda a este mundo, tudo estava perdido e corrompido; mas, depois de Ele Se ter humilhado, tudo restabeleceu. Aboliu a maldição, destruiu a morte, abriu o paraíso, acabou com o pecado, escancarou as portas do Céu para levar para lá as primícias da nossa humanidade. Propagou a fé em todo o mundo. Expulsou o erro e restabeleceu a verdade. Fez subir a um trono real as primícias da nossa natureza. Cristo é o autor de bens infinitamente numerosos, que nem a minha palavra nem nenhuma palavra humana poderiam descrever. Antes da sua vinda a este mundo, só os anjos O conheciam; mas, depois de Ele Se ter humilhado, toda a raça humana O reconheceu.